13 novembro 2008

Um post por mês, é esse o meu objectivo! Yes, I can!

Uma rapariga estava sentada num café. À sua frente estava uma caneca fumegante de chocolate que ela pedira há algum tempo atrás. No momento apenas a observava atentamente como se, no líquido castanho e, que ela sabia ser, saboroso, estivesse o segredo para todas as suas preocupações. Suspirou, uma e outra vez à medida que o chocolate fumegava menos. E menos. Talvez o seu cabelo já cheirasse a chocolate quente.
– Desculpa, mas… posso me sentar?
Olhou para cima e viu outra rapariga também com uma caneca de chocolate quente na mão. Nos seus olhos via-se uma promessa de que não iria incomodar, apenas se queria sentar, já que todas as outras mesas estavam ocupadas. Ela anuiu e a rapariga sentou-se, pousando a sua caneca de chocolate. Estranhamente, tomou a mesma posição que ela, e fitou a bebida demoradamente.
A primeira rapariga começou a beber o seu chocolate. Bebia devagar, com um pensamento a fluir em cada gole. Uma maneira calma e simples de controlar a dor. Uma estratégia para impedir que a sua mente fosse invadida por demasiadas coisas que a fariam chorar. Quanto mais tempo demorasse a beber, menos coisas a feriam. Menos tempo pareceria faltar para sair daquele estado.
A rapariga à sua frente continuava a olhar para a caneca tal como ela fizera. Talvez sentisse o mesmo por razões diferentes. Talvez estivesse a fugir de algo. Não estava ela também? Não estava toda a gente à sua volta?
Bebeu o último golo e prolongou a sua dormência enquanto se levantava e arrumava a cadeira. A outra rapariga lançou-lhe um olhar calmo, cheio de dor. Ela apenas saiu.
Uma rapariga estava sentada num café.

3 comentários:

X_x disse...

Oh, esse final, minha... coisa

odeio-te, desde que começaste com esse curso que andas a ficar [even] melhor. vou ter que te partir a boca a sério, como é óbvio.

"Uma maneira calma e simples de controlar a dor."
nhã.
*_*

Renato "Lp" Lopes disse...

Hum... Interessante maneira de ver as coisas; mas será que a realidade é mesmo a que descreves nestas palavras?

Bem, talvez seja; desde que sejam honestas uma para a outra. Quando começam os segredos começam também as divergências, por muito profunda que pareça uma amizade. E daí, segredos a menos pode muito bem resultar na destruição dessa mesma amizade.

Se bem que pessoalmente prefiro que ela parta no último caso (uma vez que sendo assim nunca foi realmente verdadeira) do que estar amarrado pelas correntes da hipocrisia apenas para manter o meu bem estar psicológico; preferia enlouquecer sozinho num recanto isolado da minha mente que morrer um bocadinho todos os dias para manter um bem-estar aparente; que nada seria mais que ilusório...

Espero não andar a ver coisas onde elas não estão e desculpa se escolhi o caminho completamente oposto na encruzilhada da interpretação xD

Nevertheless, gostei do texto ;)

Adinatha Kafuka disse...

Há tantos segredos que se dizem por detrás de uma chávena de chocolate...mesmo sem palavras :)
Talvez a rapariga 1ª se tenha ido embora por ter começado a ficar demasiado transparente à segunda... não sei, acontece-me muitas vezes :x

Gosto do texto ^^